Dom Robertto Cabernet Sauvignon 2005


Produzido na cidade gaúcha de Santa Maria, o Dom Robertto Cabernet Sauvignon 2005 é um vinho peculiar. A começar por sua produção artesanal, o que lhe confere uma identidade diferenciada do padrão estabelecido pelo mercado. Melhor assim, pois a grandeza do vinho é essa diversidade, que, infelizmente, alguns querem acabar, como vemos com esta enormidade de vinhos regulados excessivamente pelo gosto do enólogo, vinhos despersonalizados, vinhos previsíveis.
Não é o caso deste Dom Robertto, um cabernet sauvignon com forte personalidade, que se distingue facilmente da maioria dos cabernets puramente comerciais. Com gosto pleno de uva, aroma intenso de frutas, maciez e delicadeza tânicas, é um vinho que se degusta prazerosamente, inclusive sem comida. A única ressalva dele é o preço, mas, por se tratar de produção artesanal, lhe daremos um desconto.
Afinal, hoje são raros os vinhos de forte personalidade, como este do, para nós, desconhecido terroir de Santa Maria.

Onde comprar:
www.cantinabocadomonte.com.br
Quanto custa: cerca de R$ 50,00
Classificação: muito bom

6 comentários:

Imfernandes disse...

Queria muito provar. Pena que os excelentes vinhos brasileiros ficam para os excelentes bolsos.

Por conta disso a polêmica "o Brasil faz vinho bom?" vai permanecer por muito tempo ainda.

É uma pena.

Laércio Lutibergue disse...

"Excelentes bolsos"? Nem tanto, amigo Fernandes!

A questão do vinho nacional é complexa. Infelizmente, o vinho nacional bom tem um custo muito superior aos chilenos e aos argentinos. Isso porque a natureza não nos foi benéfica em relação a vinhos. Trocando em miúdos, no Chile, principalmente, e na Argentina, a vinha produz boas uvas com muita facilidade, enquanto no Brasil dá um trabalho...
Mas existem bons vinhos nacionais acessíveis. Indico dois: o pinot noir da Dal Pizzol (R$ 17,00) e o Gewürztraminer da Casa Valduga (R$ 22,00).
E este Dom Robertto precisa ter esse preço mesmo, pois, como ressaltei na postagem, é artesanal, são pouquíssimas garrafas produzidas.

Saúde, confrade!

papo de vinho disse...

Olá, meu nome é Carlos Alberto, escrevo o blog papodevinho.blogspot.com
Foi gentileza sua dizer que o nível do seu blog não é o mesmo do meu. O vinho é tão incrível que qualquer informação a mais vale muito e o seu blog é cheio de informações e é muito bem feito. Foi bom ter comentado no meu blog para que eu entrasse no seu. Agora não saio mais! vou dar uma espiada todos os dias.

Abraços.
Carlos Alberto

Flavio disse...

Infelizmente os bons vinhos tintos nacionais não valem o preço e a média de qualidade dos mesmos continua muito ruim! Acho que o governo devería acabar com esta hipocrisia e reduzir ao maximo a produção de vinhos tintos e brancos, deixando de fora os vinhos Catarinenses, e concentrar toda a produção nos espumantes. Como um amigo comentou em outro blog, se Napoleon, fosse o imperador do Brasil ou do Rio Grande do Sul, mandaria arrancar todas as cepas que não fossem exclusivas a produção de espumantes.

Abs,

Flavio

Avaliador de Vinhos disse...

Prezado Carlos albertO:

Obrigado pela visita. Eu já sou assíduo visitante de seu blog. Vou relacioná-lo entre os meus favoritos.

Avaliador de Vinhos disse...

Prezado Flavio:

Todo radicalismo é perigoso. O Brasil é muito novo nesse negócio de vinho. Tem muito que aprender. Tenho esperança de que um dia teremos vinhos bons e baratos.
Acredito nisso.